LINKS RÁPIDOS
OPERAÇÕES

São Paulo - SP ( Matriz )

Rua Tenerife 31 4 Andar

Vila Olímpia - 04548-040

 

Belo Horizonte - MG

Rua Alessandra Salum Cadar, 415

Sala 503 - Buritis - 30575-190

Brasília - DF

SIA Quadra 04C Lote 51

Salas 201/202 Ed. SIA Center II 

71200-045

Cascavel  - PR

SOCIAL
  • Twitter - White Circle
  • White Facebook Icon
  • White LinkedIn Icon

Contato Matriz São Paulo

+55 11 3847-8921​

© 2018 by skalena - Distribudor WSO2 Governo Brasil / Reseller Global

                                  - Distribuidor 42Crunch

Replatform

Adeus aos seus Monolíticos e Servidores de Aplicações

O que é Replatform?

 

Em parceria com a VMBears, a Skalena traz ao mercado esse conceito que é a soma de uma metodologia, a ferramental tecnológico, que permite libertar as organizações das Aplicações Java EE Mololíticas que são executados em Servidores de Aplicações como WebSphere, JBoss e WebLogic. 

Transforme suas aplicações Monoliticas em 100% aderentes aos paradigmas mais modernos como Microserviços, DevOps, Containers, Kubernetes/OpenShift etc.

Quais benefícios? 

Antes da sua empresa trocar sua aplicação, vamos mudar primeiramente a infraestrutura da mesma, que pode ser além de problemática, ainda custar muito para manter os contratos de manutenção de Softwares antigos e já considerados legados, como servidores de Aplicações. 

 

Além de trazer a possibilidade em um espaço muito curto de tempo, graças as automatizações presentes na metodologia, uma empresa já pode começar a trilhar todo o caminho de transformação digital, usando todos os conceitos importantes no mundo moderno, entre estes práticas modernas de DevOps, CI/CD, Testes Automatizados, Governança de Serviços, APIs, SSO, OAuth, analytics , tracing e etc. Tais práticas ou são muito complexas, ou até mesmo impossíveis de serem aplicadas em um mundo Monolítico.  

 

Economia desde o primeiro build: Muitas vezes apenas a economia de manutenção de suporte pode cobrir todo ou grande parte do processo de "Replatform" das suas aplicações.

Modernização de Sistemas Legados

Horizonte para modernização de sistemas

Quando o objetivo é modernizar aplicações legadas, olhando os números de algumas pesquisas norte americanas, aparentemente o trabalho é infinito. O mercado de software nos Estados Unidos cresceu em média 7,2% ao ano entre os anos de 2000 e 2014 alcançando U$ 475 bilhões.

Em 2016, esse número chegou a U$ 564 bilhões. Sendo assim, esta enorme quantidade de dinheiro foi utilizada na produção e sustentação de inúmeros sistemas e uma coisa é fato: Este dinheiro não seria gasto se esses sistemas não fossem importantes!

Esses montantes financeiros são astronômicos, assim como a diversidade dos tipos de softwares construídos. É interessante pensar que todos eles foram construídos utilizando as tecnologias existentes nas épocas em que foram desenvolvidos, mas a pergunta que fica é como continuar fazendo uso desses softwares, que para muitos ganharam a alcunha de legados.

Sistemas legados são sistemas de informação os quais baseiam-se em tecnologias desatualizadas, mas que são fundamentais para as operações do dia-a-dia da empresa.

Mapa de Tecnologia do Legado

A tecnologia e a linguagem de programação são forças que ajudam a enquadrar os sistemas como legados. Inicialmente, quando uma empresa escolhe a tecnologia a ser utilizada para construção do sistema, em geral faz comparação das características intrínsecas (sintaxe, facilidade de uso, produtividade, desempenho, portabilidade), pacotes disponíveis (frameworks), comunidade e cultura. A cultura seja da empresa ou da região é muito importante, nela enquadram-se a disponibilidade de profissionais na empresa ou no mercado, os salários, formação média e a curva de aprendizado. Uma tecnologia fica obsoleta e os profissionais param de estudá-la e suporta-lá, porém o resultado é único, o sistema legado se torna um risco. Todo esse movimento acontece em conjunto, quase que num efeito manada!

 

Para avaliação dos problemas de um sistema legado, é importante conhecê-los. Ter visão dos dados mantidos, características da tecnologia que são utilizadas e mapa de dependências bi-direcionais. É comum que os sistemas de uma empresa não utilizem as mesmas tecnologias, isso torna mais desafiador a avaliação de modernizações, por que as tecnologias possuem mecanismos particulares de comunicação (pelo menos era assim até a chegada dos WebServices e REST), o que faz inicialmente a migração ser imaginada em um modelo "BigBang".

Leia aqui nosso White-paper gratuito para saber mais sobre o tema de Modernização de Sistemas Legados. 

Casos de Sucesso

 

Alguns clientes já obtiveram incríveis benefícios e economia usando nossa metodologia de Replatform,  entre estes cases podemos citar:

Grande empresa do meio de pagamentos eletrônicos

Migramos um sistema escrito em J2EE sendo executado sobre servidor JBoss, para que fosse então executado 100% em plataforma SpringBoot sobre Docker. 

 

A migração resultou na economia de manutenção e novas licenças de Software de Application Server conforme crescimento de hardware e recursos quase que anual deste cliente. 

Grande empresa no segmento de Seguradora 

Migramos uma aplicação legada JEE outrora sendo executada na plataforma WebSphere para também ser executada em Spring Boot. Agora temos o ambiente com o uso de Containers Docker e prontos para o uso de Kubernetes. O cliente agora já está vendo como expor seus microserviços reaproveitados como APIs para atender novos clientes SPA e Mobile.